GAP GRADED com ECOFLEXPAVE B na BR-277

A Concessionária de Rodovias ECOCATARATAS, sediada em Cascavel-PR, que detém a concessão da BR-277 entre Guarapuava e Foz do Iguaçu, há muito vem buscando soluções de faixas gralunométricas para as restaurações e conservações de suas vias que venham a proporcionar maior conforto e segurança de tráfego aos seus usuários.
Dentro dessa perspectiva, inicialmente a ECOCATARATAS realizou recapeamentos asfálticos com CPA- Camada Porosa de Atrito, utilizando em larga escala produtos asfálticos modificados por polímeros. A CPA proporciona baixo ruído, baixa refletibilidade, além de alto nível de segurança à aquaplanagem devido à sua rugosidade e porosidade, proporcionando assim uma drenagem maior à superfície de rolamento em momentos chuvosos.
Na manutenção desses conceitos, a ECOCATARATAS tem estudado vários tipos de misturas asfálticas passando pelas faixas descontínuas, as quais, além de atender às características de conforto e segurança ao usuário, possam ser aplicadas em menores espessuras em relação aos asfaltos convencionais e, que mesmo assim, venham a acompanhar a evolução do tráfego, proporcionando melhor resistência às deformações plásticas, conseqüentemente, buscando o aumento da vida útil ao pavimento.
Por si só, o emprego de camadas de baixas espessuras com ligantes modificados, além do fator econômico, pode ser considerada uma louvável medida ecológica, já que deixar de explorar em maior frequência os recursos minerais inerentes aos serviços de conservação rodoviária, trata-se de grande contribuição ao meio ambiente. A contribuição ecológica da ECOCATARATAS aumentou consideravelmente no final de 2008, quando optou pela aplicação de 7.430 toneladas de massa dentro da faixa GAP GRADED, com a utilização do ligante ECOFLEXPAVE B – asfalto modificado por pó moído de pneus inservíveis,
fornecido GRECA Asfaltos.
O GAP GRADED trata-se de uma faixa de mistura descontínua, porém densa, a que atende os limites de vazios entre 4% a 6%, com as mesmas características de conforto e segurança ao tráfego, e sua drenagem se dá pelo escoamento superficial proporcionado pelo nível maior de rugosidade, sem haver percolação pelo interior da camada e proporcionando também maior desempenho às solicitações de cargas. A massa foi aplicada em 10 km da BR 277, na espessura de 3 cm e largura de 7,20 m de pista de rolamento, em trecho compreendido entre as cidades de Guarapuava e Cantagalo-PR, mais precisamente entre os km 357 e 367, passando pelo trevo de Santa Maria.
Estima-se em 1.000 pneus/km o consumo dentro dessas dimensões, portanto, considerando os 10 km de aplicação, a ECOCATARATAS prestou uma valiosíssima contribuição ecológica, além dos aspectos acima mencionados, em dar um destino nobre aos mais de 10.000 pneus inservíveis, considerando também as terceiras faixas no segmento. Fatalmente, em grande parte, esses pneus poluiriam o meio ambiente em mais de 600 anos até as suas totais decomposições.
Contribuição: Diretor Técnico José Carlos Massaranduba

Leia a matéria completa no informativo Fatos&Asfaltos nº16

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *