Operação tapa-buracos

Estão em andamento por todo o país os trabalhos do Programa Emergencial de Trafegabilidade e Segurança nas Rodovias Brasileiras, a divulgada OPERAÇÃO TAPA-BURACOS. Serão investidos pelo Governo Federal R$ 440 milhões em ações que incluem serviços para tapar buracos e intervenções como a recomposição de pequenos trechos contínuos, recapeamento, restauração de pavimento e da sinalização horizontal, além da recuperação de pontes.
Há uma unanimidade entre os técnicos que atuam nas áreas de transporte rodoviário e de pavimentações asfálticas que estes recursos são insuficientes para atingir a meta pretendida pelo Governo de atender 26,4 mil quilômetros de rodovias esburacadas. Segundo suas estimativas o valor não suportará o financiamento, sequer, da quinta parte da meta estabelecida.
Realmente a dúvida procede, pois se considerada a significativa extensão do objetivo estabelecido, todos hão de convir que a quantia proposta é bastante tímida para uma gama de despesas que uma iniciativa desta natureza exige. O que se teme, a par disto, é que a pulverização destes recursos ao longo de centenas de trechos elencados propicie a execução de ações de reparação emergenciais de baixíssima durabilidade.
Por outro lado são desconhecidos os critérios adotados para a distribuição deste valor entre as diversas unidades federadas. Como exemplo tome-se o programa a ser executado no Estado do Paraná, que deverá contar com recursos da ordem de R$ 26 milhões para serem aplicados em trechos cuja extensão soma algo em torno de 670 quilômetros.
Todos sabem que as rodovias federais em solo paranaense estão completamente degradadas e o valor proposto é absolutamente incompatível com a realidade que se apresenta. Como parâmetro de comparação basta dizer que, para seu programa de revitalização de rodovias estaduais, o Governo do Estado do Paraná estará aplicando R$ 800 milhões até o final de 2006.
Por estas e outras considerações, impõe-se como imperativa e urgente a revisão, para mais, dos valores que o Governo Federal estará canalizando para a Operação Tapa-Buracos, para que não se torne outra frustração para os usuários que demandam a malha rodoviária nacional.

Leia a matéria completa no informativo Fatos&Asfaltos nº6

Amadeu Greca

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *